Mês: Abril 2016

Love the Dress | Susana + Rick

Este ano de 2016 promete ser um grande ano com muitos e bons casamentos para fotografar.

Mas hoje escrevo-vos para vos contar um bocadinho de um dos meus mais recentes trabalhos. A Susana e o Rick foram meus noivos no ano passado. Foi um casamento lindo na Casa de Vilela.

Podem recordar o casamento neste link.

Estive com a Susana e o Rick 3 vezes. Uma vez antes do casamento para nos reunirmos. Outra vez no dia do casamento. E a 3ª vez que nos encontramos foi no passado Sábado. No entanto, tenho o enorme prazer de os considerar meus amigos e sei que eles me consideram amigo deles. Bem como à Cátia e ao Belmiro. Falamos horas a fio. E entre conversas fomos registando e criando estas imagens.

Não preciso de vos explicar o quanto a Susana e o Rick se amam e respeitam, porque as imagens falam por si.

Susana e Rick. Obrigado por me mostrarem verdadeiro e puro amor. Espero que gostem das minhas imagens.

This year of 2016 promises to be a great year with so many good weddings to shoot.

But today I am writing  to tell you a little bit of one of my latest work. Susana and Rick were one of my couple’s from last year. They had a beautiful wedding in Casa de Vilela.

You can remember the wedding at this link.

I was with Susan and Rick 3 times. Once before the wedding to met each other. Again on the wedding day. And the 3rd time we met was last Saturday. However, I have the great pleasure to consider them my friends and I know they also consider me a friend of them. As well as Catia and Belmiro. We talked for hours. And between conversations I had the opportunity to create these images.

I don’t need to explain how Susan and Rick love and respect each other, because the images speak for themselves.

Susan and Rick. Thank you for showing me true and pure love. I sincerely hope you enjoy my pictures.

www.pedrofilipe.pt

Pedro Filipe Fotografia_0065 Pedro Filipe Fotografia_0066 Pedro Filipe Fotografia_0067 Pedro Filipe Fotografia_0068 Pedro Filipe Fotografia_0069 Pedro Filipe Fotografia_0070 Pedro Filipe Fotografia_0071 Pedro Filipe Fotografia_0072 Pedro Filipe Fotografia_0073 Pedro Filipe Fotografia_0074 Pedro Filipe Fotografia_0075 Pedro Filipe Fotografia_0076 Pedro Filipe Fotografia_0077 Pedro Filipe Fotografia_0078 Pedro Filipe Fotografia_0079 Pedro Filipe Fotografia_0080 Pedro Filipe Fotografia_0081 Pedro Filipe Fotografia_0082 Pedro Filipe Fotografia_0083 Pedro Filipe Fotografia_0084 Pedro Filipe Fotografia_0085 Pedro Filipe Fotografia_0086 Pedro Filipe Fotografia_0087 Pedro Filipe Fotografia_0088 Pedro Filipe Fotografia_0089 Pedro Filipe Fotografia_0090 Pedro Filipe Fotografia_0091

 

Bruges e Amesterdão

Hoje trago-vos um pouco da nossa mais recente viagem (eu e a Cátia) pelas cidades de Bruges e Amesterdão.

Comecemos por Bruges. Bruges terá sido um dos locais mais bonitos que visitei até hoje. Bruges é uma cidade da Bélgica e a 1ª vez que ouvi falar da cidade foi quando vi o filme “In Bruges” e fiquei desde essa altura com uma vontade grande de visitar. Será que o filme fazia jus à beleza da cidade? Agora que lá estive posso afirmar que não. Bruges é muitíssimo mais bonito ao vivo.

Voamos a partir do Porto para Bruxelas (Charleroi) e aí alugamos um carro. Fomos de carro porque os ataques terroristas tinham sido há pouco tempo e achamos mais seguro. Mas a melhor opção e mais barata, teria sido apanhar um comboio até Bruges.

Ficamos hospedados no incrível e mágico B&B La Foulage. Recomendo a 100%. Não é um local barato, mas a experiência e o cuidado em terem um atendimento totalmente personalizado para o hóspede é impagável.

Em Bruges não precisa de carro para nada. A cidade é pequeno e o ideal é mesmo perder-se pelas ruas a pé. Se não andar a pé pela cidade, não vai conseguir perceber como é encantadora.

O ideal é mesmo andar a pé e tirar o máximo de fotografias que conseguir, no entanto, posso indicar-vos alguns locais por onde passei e que recomendo.

  • Het MinnewaterTambém conhecido como o Lago do Amor. 
  • Markt – Centro da cidade histórica de Bruges. Sentem-se numa das esplanadas e bebam uma boa cerveja belga.
  • BelfortTorre no centro. Prepare-se para muitos degraus, mas a vista do cimo, vale a pena o esforço.
  • Heilig-BloedbasiliekBasílica do Sangue Sagrado. Data do século 12 e diz-se que contém sangue de Cristo.
  • Brugse reienCanais de Bruges. Apanhe boleia de um dos barcos e navegue pela cidade.
  • Onze Lieve VrouwekerkIgreja de Nossa Senhora
  • Memling in Sint-Jan HospitaalmuseumHospital de S. João. Da época medieval.
  • GroeningemuseumMuseu de arte
  • RozenhoedkaaiUm ponto obrigatório para quem gosta de fotografia
  • Provinciaal HofUm edifício neogótico incrível.

Estes são só alguns pontos recomendados. Neste link – tripomatic podem visualizar o nosso plano de viagem, com todos os pontos visitados, horários de abertura e preços mais detalhados.

Today I bring you some thoughts about one of our latest trip (I and Catia) for the cities of Bruges and Amsterdam.

Let’s start with Bruges. Bruges have is one of the most beautiful places I have visited. Bruges is a city of Belgium and the 1st time I heard about the city was when I saw the movie “In Bruges” and since then I had a great desire to visit. Does the movie shows up to the beauty of the city? Now I was there I can say that not. Bruges is far more beautiful.

We flew from Porto to Brussels (Charleroi) and then rented a car. We drove because terrorist attacks had been recently and you felt more safe driving. But the best and cheapest option would have been to take a train to Bruges.

We were staying at the amazing and magical B & B La Foulage. I recommend 100%. Not a cheap place but the experience and concern to have a fully customized service for guests is priceless.

In Bruges you don’t need to drive for nothing. The city is small and you should walk to feel the city.

I can tell you some places where I have and I recommend.

Het Minnewater – Also known as the Lake of Love.
Markt – Center of the historic city of Bruges. Sit on one of the terraces and drink a good belgian beer.
Belfort – Tower in the center. Get ready for lots of steps, but the view from the top is worth the effort.
Heilig-Bloedbasiliek – Basilica of the Holy Blood. 12th century date and some say that contains the blood of Christ.
Brugse Reien – Bruges channels. Take a ride in one of the boats and navigate through the city.
Onze Lieve Vrouwekerk – Church of Our Lady
Memling in Sint-Jan Hospitaalmuseum – St. John’s Hospital. From medieval times
Groeningemuseum – Art Museum
Rozenhoedkaai – A must for those who like photography
Provinciaal Hof – An amazing neo-Gothic building.

These are just some recommended points. This link – Tripomatic can view our travel plan, with all visited points, opening hours and more detailed prices.

Pedro Filipe Fotografia_0026 Pedro Filipe Fotografia_0027 Pedro Filipe Fotografia_0028 Pedro Filipe Fotografia_0029 Pedro Filipe Fotografia_0030 Pedro Filipe Fotografia_0031 Pedro Filipe Fotografia_0032 Pedro Filipe Fotografia_0033 Pedro Filipe Fotografia_0034Seguimos agora para Amesterdão. Quanto mais tempo passa, mais valor dou a Amesterdão. Senti um pouco o choque da transição da calma de Bruges para a agitação e movimento de Amesterdão.

Amesterdão é a capital da Holanda, mas o governo está em Haia. É um must visit, mesmo que não fiquem fascinados. É uma cidade romântica, divertida e cultural. A arquitectura é fantástica. O pé direito bem grande, tectos trabalhados e é muito engraçado o à vontade dos habitantes por não taparem nada para o interior da casa. Cortinas mal as vi.

Não é uma uma cidade muito grande, mas tem tanto para ver e fazer. Foram 3 dias e meio (daí o post ser maior que Bruges e ter um pouco mais de fotografias) muito intensos e com muitos km nos pés que valeram cada canto e recanto novo que conhecemos. Tal como em Bruges, em Amesterdão não é preciso carro. A cidade é bem maior, mas a rede de metro, tram e BUS levam-nos para todo o lado.

Ficamos hospedados numa casa que alugamos pelo Airbnb. Escolhemos uma zona perto de metro, mas sem ser no centro. Assim conseguimos ter transporte rápido para todo o lado, mas também descansar um pouco da agitação.

Alguns pontos recomendados:

  • Amsterdam Centraal Railway StationFoi onde chegamos de comboio e levou-nos logo a dizer um grande UAUUU..
  • Dam SquareImportante praça de Amesterdão.
  • I amsterdam – Impossível não tirar uma fotografia. Mas impossível de lá tirar todos os turistas.
  • Red Light District – Surreal. Mas incrível. Só indo lá é que conseguimos ter noção do que é.
  • RijksmuseumMuseu Nacional. A não perder.
  • VondelparkAproveite este parque para relaxar um pouco da confusão.
  • Anne Frank HouseObrigatório visitar. Comprem os bilhetes na internet e com muita antecedência.
  • Keukenhof Gardens – Parque dedicado às tulipas. Aberto de Março a Maio. Se forem a Amesterdão nestas datas, a visita é imperdível.

Neste link – Tripotamic podem ver o nosso guia para Amesterdão. Lá tem todos os pontos visitados, com descrições mais detalhadas, horários de abertura de preços.

Não podem perder a zona do Joordan, sem dúvida a zona com os restaurantes e com as lojas mais giras da cidade (muito mais interessante que aquelas ruas típicas e mais comerciais apinhadas de turistas). Têm de ir ao bairro do Pijp, um bairro boémio, com uma onda muito cool e com um mercado que vale a pena conhecer, o Albert Cuyp Market. É obrigatório fazer um passeio de barco pelos canais. A melhor hora é o final do dia (apanhar um pouco de luz e terminar com a noite e as luzes acesas é imperdível). Claro que comer uma panqueca faz parte da cultura de Amesterdão e vocês também o devem fazer. Nas férias, não há dieta. Entrarem numa Coffee Shop claro que faz parte da cultura de Amesterdão. Nem que seja só para verem como é.

Já dei alguma dicas e conselhos, mas duvido que quem lá vá não descubra coisas novas, spots fantásticos e uma experiência que jamais irão esquecer, porque está é sem dúvida uma cidade com muito para oferecer e se vocês se deixarem levar é ainda mais gira e fascinante de conhecer.

We continued our trip to Amsterdam. The more time goes by, the more I value Amsterdam. I felt a little shock in the beginning. We went from the calm to agitation and movement of Amsterdam.

Amsterdam is the capital of the Netherlands, but the government is in The Hague. It is a must see city. It’s a romantic, fun and cultural city. The architecture is fantastic.

It is not a very large city, but it has so much to see and do. Were 3 and a half days (hence the post be greater than Bruges and have some more pictures) very intense and many kms by foot but it worth it. As in Bruges, in Amsterdam you no need to drive. The city is much higher, but the underground network, tram and bus take us everywhere.

We were staying in a house rented by Airbnb. We chose an area near metro, but without being in the center. So we can have fast shipping everywhere, but also rest a bit of excitement.

Some recommended items:

Amsterdam Centraal Railway Station – Was where we arrived by train and then led us to say a big UAUUU ..
Dam Square – Important Amsterdam square.
I amsterdam – Impossible not to take a picture. But there impossible to get out all the tourists.
Red Light District – Surreal. But amazing. Just going there is that we can be aware of what is.
Rijksmuseum – National Museum. To not lose.
Vondelpark – Enjoy this park to relax a bit of confusion.
Anne Frank House – Mandatory visit. Buy tickets online and well in advance.
Keukenhof Gardens – Park dedicated to tulips. Open from March to May. If you go to Amsterdam on these dates, the visit is a must.

This link – Tripotamic can see our guide to Amsterdam. There you can see all visited points, with detailed descriptions, price and opening hours.

Do not miss the area of Joordan. The area with restaurants and the cutest shops in town (much more interesting than those typical and most commercial streets crowded with tourists). You have to go to the Pijp neighborhood, a bohemian neighborhood with a very cool wave and a market that is worth knowing, the Albert Cuyp Market. It is mandatory to take a boat ride through the canals. The best time is the end of the day (take a little light and end the night and the lights is a must). Of course, eating a pancake is part of Amsterdam culture and you should do it too. During the holidays, there is no diet. Coffee Shops are part of Amsterdam culture. Even if only to see how it works.

I have given some tips and advice, but I doubt that those who go there do not discover new things, fantastic spots and an experience they will never forget, because this is certainly a city with much to offer and if you get caught up in even more turns and fascinating to know.

Pedro Filipe Fotografia_0037 Pedro Filipe Fotografia_0038 Pedro Filipe Fotografia_0039 Pedro Filipe Fotografia_0040 Pedro Filipe Fotografia_0041 Pedro Filipe Fotografia_0042 Pedro Filipe Fotografia_0043 Pedro Filipe Fotografia_0044 Pedro Filipe Fotografia_0045 Pedro Filipe Fotografia_0046 Pedro Filipe Fotografia_0047 Pedro Filipe Fotografia_0048 Pedro Filipe Fotografia_0049 Pedro Filipe Fotografia_0050 Pedro Filipe Fotografia_0051 Pedro Filipe Fotografia_0052 Pedro Filipe Fotografia_0053 Pedro Filipe Fotografia_0054 Pedro Filipe Fotografia_0055 Pedro Filipe Fotografia_0056 Pedro Filipe Fotografia_0057 Pedro Filipe Fotografia_0058 Pedro Filipe Fotografia_0036

Para terminar este post, tenho de agradecer e muito ao Centro de marketing de Amesterdão. Ofereceram um cartão I Amsterdam City Card que além de permitir entradas gratuitas em imensos locais de Amesterdão, descontos em bicicletas, ainda serve para viajar em todos os transportes públicos. Se forem a Amesterdão, compre um. Um obrigado também para a direcção do Parque Keukenhof que teve a gentileza de oferecer a entrada gratuita no parque.

Espero que gostem e até à próxima viagem (esperemos que seja para breve).